Um lugar feliz para você e sua família

A luta espiritual e a armadura de Deus

Mensagem Pastoral do Boletim de 24 de julho de 2016

Os cristãos em Éfeso se defrontavam com toda sorte de princípios e valores mundanos, antagônicos ao Reino de Deus. A passagem bíblica apresenta a luta diária entre ser cristão ou aderir às práticas de quem não se converteu a Cristo, demostrando que por trás de tudo está um grande adversário, promotor do Mal, que age, com suas hostes espirituais, por meio de pessoas, instituições e ideologias perniciosas.

Hoje em dia, no contato diário com a televisão, rádio, revistas, jornais e outras formas de mídia percebemos que a difusão de valores do mal acontece com maior facilidade, formando gerações de seres humanos que perderam qualquer noção do que é certo ou errado, promovendo a queda moral da sociedade. A conclusão que chegamos é que, se à época de Paulo a luta era difícil e exigia total comprometimento com Cristo para ser vencida, atualmente a “coisa ficou ainda mais feia”.

Para começar, devemos nos lembrar que somente em Deus temos condições de vencer – Ef 6:10 e Sl 46:1. Nele está a nossa força, e não em algum “jedi” do filme Guerra nas Estrelas. Ao convidar-nos a “revestirmo-nos da armadura de Deus” – Ef 6:11; a visão é que somente na força de Deus podemos trazer mudanças à sociedade e indivíduos que nos cercam, resistindo às ciladas do adversário e sabendo que, muitas vezes, o inimigo está dentro de nós mesmos: a nossa própria cobiça – Mt 9:4 e 12:34-35.

O diabo estrutura sua obra de matar, roubar e destruir – Jo 10:10 no dia-a-dia da nossa vida. Seja nos relacionamentos familiares, amorosos, de trabalho ou estudo, enfim, em qualquer situação em que damos lugar ou ficamos coniventes com fatos e atitudes que se encontram fora do padrão bíblico. Se está agindo assim, tenha consciência de que pratica exatamente o contrário de “resistir ao diabo” – Tg 4:7. Ninguém pode servir a dois senhores – Mt 6:24. Os dominadores deste mundo tenebroso – Ef 6:12 {do grego “kosmokrator” = governante mundial}; são demônios, de toda ordem hierárquica, que manipulam, oprimem, usufruem e usam as pessoas em sua guerra contra Deus. Isso se dá através da exploração de outros seres humanos, dos abusos, da violência, da guerra, do sexo pelo sexo, da destruição psíquica, da degradação dos relacionamentos de qualquer tipo.

Trata-se do diabo, com o apoio de pessoas sem Jesus, governando o mundo em que vivemos. A Igreja do Senhor – VOCÊ – existe para se contrapor a essa situação – Ef 3:10. O cristão deve, principalmente, permanecer firme e resistir, mesmo em dias maus – Ef 6:13. Ao apresentar a armadura de Deus, o Apóstolo Paulo se baseou nas vestimentas dos soldados romanos. Usando dessa alegoria, relacionando a maioria das partes com base em textos do Antigo Testamento, explicou claramente como podemos vencer e perseverar, para conseguir a coroa da vida – Tg 1:12. Para a luta o cristão tem que estar alerta e consciente dos fatos que se passam ao seu redor. Você se esconder na Igreja, ou só ser crente lá dentro não vale. A armadura de Deus é:

• Cingindo-vos com a verdade {gr. “zoma”, o cinturão} – aperta a armadura no corpo, e sustenta outras armas – vs 14 e Is 11:5; • Couraça da justiça {gr. “thoraks”, o peitoral} – Cobria o peito e parte das costas – vs 14 com Is 59:17;

• Calçar-se com o evangelho da paz {gr. “knemides”, as grevas} – De couro, cobriam as canelas e os pés, protegendo-os – vs 15 com Is 52:7; • Escudo da fé {gr. “aspis”, o escudo} – Existiam vários tipos, proteção contra qualquer ataque – vs 16 com Gn 15:1.

• Capacete da salvação {gr. “perikephalaia”, o capacete} – De metal, decorado com várias figuras. Protegia a cabeça – vs 17 com Is 59:17.

• Espada do Espírito, que é a Palavra de Deus – {gr. ”ziphos”, a espada} – Foi a única arma ofensiva citada. O Espírito de Deus se manifesta através dos crentes que manejam bem a Palavra – vs 17 com Hb 4:12.

• Orar, suplicar e vigiar – Essas são as fontes de poder do cristão.

Não é possível encontrar servos de Deus bem sucedidos que não sejam pessoas de oração.

Luciano Sathler
Igreja Metodista Central em Santo André